Atendimento

(11) 2372-6352

Investir para se aposentar: quanto você precisa?

Saiba como isso vai mudar sua vida

Você já pensou em quanto precisa poupar todo mês para se aposentar com uma renda igual ao teto atual do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que é de R$ 7.500? A seguir, confira algumas estratégias de investimento para atingir esse objetivo em 30 anos, considerando opções como :

  • Tesouro Direto
  • CDB
  • LCA
  • LCI
  • Fundos imobiliários

Investindo no tesouro direto

Para quem busca segurança e não quer arriscar, a opção é investir cerca de R$ 2.480 por mês no Tesouro Direto. Assim, em 30 anos, você acumularia o suficiente para ter uma renda vitalícia equivalente a R$ 7.500 mensais.

Considerando uma rentabilidade real de 4,7% ao ano, após descontar inflação e Imposto de Renda, essa é uma opção segura, baseada nas projeções de juros e inflação para 2024.

CDB, LCA e LCI: menos aportes, mesmo objetivo

Investindo em títulos como CDB, LCA e LCI, que geralmente oferecem uma rentabilidade um pouco superior ao Tesouro Direto, você pode reduzir o valor mensal do investimento para cerca de R$ 1.830.

Esses títulos, oferecidos por bancos pequenos e médios, são protegidos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o limite de R$ 250 mil por instituição. Portanto, é sábio diversificar os investimentos em diferentes bancos para maior segurança.

Uma estratégia equilibrada pode envolver a combinação de Tesouro Direto e títulos privados. Por exemplo, com 60% em Tesouro Direto e 40% em CDB, LCA e LCI, você precisaria investir em torno de R$ 2.190 por mês para atingir o objetivo de aposentadoria.

Fundos imobiliários: uma opção mais acessível

Se você está disposto a assumir mais riscos, os fundos imobiliários podem ser uma escolha atrativa. Com um aporte mensal de apenas R$ 680, é possível alcançar uma renda mensal equivalente a R$ 7.500 ao final de 30 anos, seguindo essa estratégia.

Os FIIs oferecem um retorno maior (cerca de 8,5% ao ano), mas também carregam riscos semelhantes aos de possuir um imóvel físico, como vacância ou inadimplência dos locatários.

Lembre-se de que todas essas simulações consideram a necessidade de ajustar os valores dos aportes anualmente de acordo com a inflação. Por exemplo, se você começar investindo R$ 1.000 por mês e a inflação do ano for de 10%, no ano seguinte, você deverá aumentar seu aporte mensal para R$ 1.100. Além disso, é crucial reinvestir todos os rendimentos que você receber durante esses 30 anos de investimentos.

Dicas para maximizar seus investimentos

Reinvestir dividendos e rendimentos: Ao investir em fundos imobiliários, é essencial reinvestir os dividendos recebidos. O mesmo se aplica aos rendimentos do Tesouro Direto, CDB, LCA ou LCI que caírem em sua conta.

Diversificar para proteger: Ao investir em títulos de bancos, diversifique entre diferentes instituições financeiras para ficar protegido pelo FGC. Se tiver um total de R$ 1 milhão, por exemplo, divida-o em investimentos de R$ 250 mil em quatro bancos diferentes.

Atenção aos limites do FGC: Lembre-se de que a proteção do FGC é limitada a R$ 1 milhão por investidor. Portanto, se você investir mais do que isso em títulos cobertos pelo FGC, parte do seu dinheiro não estará protegida.

Considere os riscos dos fundos imobiliários: Ao investir em FIIs, esteja ciente dos riscos associados, como a possibilidade de desvalorização dos imóveis e vacância.

Fonte da matéria: Portal Exame

Fonte original do artigo

Compartilhe

Precisa organizar sua contabilidade?

Fale Conosco

Success
Formulário enviado com sucesso!
Campo obrigatório
Campo obrigatório
Campo obrigatório
  • Cálculo Trabalhista
  • Certificado Digital
  • Imposto de Renda (IRPF)
  • Folha Doméstica
  • BPO Financeiro
  • Legalização de Empresas
  • Assessoria Trabalhista
  • Departamento Fiscal
  • Departamento Contábil
  • Assessoria Contábil
  • Outros Assuntos
Campos Obrigatórios
Campo obrigatório